sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Deusa rara

Aqueles olhos que me miravam
Curvas que me levavam a imaginá-la a onde quer que eu estivesse,
Ouvi-la me desprendia do tempo,
Me embriagava o desejo,
Cobiça egoísta que a tornava minha mesmo que nos meus sonhos só era minha;

Mesmo sem ela saber que me tem sem se quer perceber...

Linda e sagaz
Chegou na inquietude de um anjo,
Me deixando sempre a esperar.
Não... não me faça esperar tanto;

Fonte essencial do fim desse meu novo que causava medo até você aparecer...

Ela que se faz
Que acontece,
Que causa;

Dentro de mim... assim mesmo sem entender como...


Schuan,19 de Agosto de 2011





2 comentários:

  1. Ninguém nunca saberá nada sobre essa poesia!!!

    ResponderExcluir
  2. A gente se vê por aqui!12 de setembro de 2011 14:59

    Eu sei! E sei muito mais ;]

    ResponderExcluir

Expresse sua opnião! Ela é muito importante...